Poesias Pesadas

Licença Creative Commons
O trabalho Poesias Pesadas de Marcio Jung foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais ao âmbito desta licença em http://paginadomarcio.blogspot.com.br.

Postagem em destaque

Meus e-books à venda

Aqui estão os links para meus e-books à venda na Saraiva  por R$ 2,99 cada: www.saraiva.com.br/poesias-de-dor-e-de-alegria-de-reflexao-e-d...

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

sábado, 27 de dezembro de 2014

lobo amaldiçoado

Existe um demônio dentro de mim,
por isso temo,
temo que escape.

O sinal  para que saia
é a lua cheia,
Por isso escondo-me,
mas não sei por quanto tempo aguentarei.

O sofrimento é comovente

O sofrimento comove,
inspira,
é belo como os mais belos anjos.

Mas é preciso muito,
muito para suportá-lo e permancecer ileso,
tanto que eu nem saberia explicar

Existe algo dentro de mim,
algo que corroi-me,
um mal.

Esse mal é a dor  avassaladora,
a angústia aniquiladora,
a solidão.

Mas eu continuo, continuo o caminho.
Para que a alma renasça é preciso que o coração seja forte o suficiente.

Segredos da floresta

Segredos da floresta,
ocultos em meio  as árvores,
protegidos.

Aqui tudo fascina,
o som das calmas águas dos rios,
o uivo dos lobos,
tudo.

Magia como a das velhas lendas de outrora,
esse fascínio está presente em meu espírito,
essa floresta está presente  em meus sonhos.


O horror em meus olhos

AH! O horror em meus olhos,
horror inenarrável,
deste sonho horrendo,
meu deus! que sonho horrendo!

Choro em desespero,
desespero intenso,
será um sonho  ou não?

Eternity

Eternidade,
imortalidade,
imensidão.

Vida eterna,
para sempre,
vida longa.

A imortalidade pode ser uma maldição,
ou uma benção se estivermos acompanhados,
pois afinal de contas ninguém quer passar a eternidade sozinho.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Olhar, sorriso e silêncio

Silêncio,
solidão,
reflexão.

Silêncio pode ser solidão,
silêncio pode ser reflexão,
silêncio pode ser contemplação.

Pessoas que muito dizem e nada falam,
barulho, algazarra,
as vezes o silêncio fala mais do que as palavras.

O olhar fala muito,
o sorriso expressa muito e conquista.
Olhar, sorriso e silêncio
são coisas de pessoas sinceras!


quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Não sou de me mostrar

Não sou de fazer a minha propaganda,
não costumo falar das minhas qualidades,
do que escrevo,
não costumo querer falar de mim para as mulheres,

Deixem que as pessoas venham até mim por si próprias,
deixem que descubram o que escrevo,
Assim como "o manuscrito escrito em uma garrafa",
deixem que as mulheres descubram-me
"pois as verdadeiras poesias e os verdadeiros tesouros existem para serem encontrados."

Feliz natal!

Feliz natal a todos!

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

A dor que eu sinto

A dor que eu sinto é imensa!
a dor da solidão,
a dor de não ser  amado.

A dor de amar mulheres maravilhosas
que não me querem,
por que são estrangeiras ou arrogantes.

Essa dor acompanha-me
como se eu fosse eterno,
ela torna-me eterno!

Nos umbrais do teu castelo

Nos umbrais do teu castelo
encontro alívio para a minha dor.
Nessas florestas encontro paz
e silêncio.

Nessas florestas encontro alívio
e sinto-me em casa,
sinto um fascínio imenso,
como se pertencesse a esse lugar,
como se eu fosse de outra época.

Não as posso ter!

Sou infeliz
pois apaixono-me apenas por mulheres lindas
e não as posso ter,

não as posso ter
pois algumas são  estrangeiras,
algumas são arrogantes,
e assim não as posso ter.

Por isso sou infeliz e solitário,
pois não as posso ter!

Catedral

Catedral,
castelo,
floresta.

Sonho,
e lá fora, os lobos uivam
em  meio a floresta.

Uma vampira dança em minha catedral

Uma vampira dança em minha catedral,
rodopia suave,
ela é ruiva
morde suavemente meu pescoço.

Ela dança suave em minha catedral,
minha catedral,
meu castelo que mais parece uma floresta.

sábado, 6 de dezembro de 2014

lobo branco, lobo vermelho, lobo negro

O grande lobo que aproxima-se para alimentar-se,
para saciar sua fome
e devorar a todos.

O grande lobo que aproxima-se
para uivar à lua
e a todos aprisionar no medo.