Poesias Pesadas

Licença Creative Commons
O trabalho Poesias Pesadas de Marcio Jung foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais ao âmbito desta licença em http://paginadomarcio.blogspot.com.br.

Postagem em destaque

Meus e-books à venda

Aqui estão os links para meus e-books à venda na Saraiva  por R$ 2,99 cada: www.saraiva.com.br/poesias-de-dor-e-de-alegria-de-reflexao-e-d...

domingo, 17 de setembro de 2017

Sacanagens são boas

Sacanagens são boas,
eu e você mulher,
na cama!

eu você
no chuveiro,
eu e você,

só de pensa
já melhoro,
já fico mais aliviado
mulher!

mulher que me dá,
que me deixa ver,
mulher que geme,

mulher que é você,
que está por vir
para mim!

Sinto falta

Sinto falta
de falar umas sacangens
para uma mulher,

sinto falta
mas sei
que vai ser bom,

uma mulher farta
que sabe que é
desejada,

uma mulher
que fale
sacanagens para mim
assim.

uma mulher
que deixe
eu passar as mãos
por suas ancas
e todo o resto,
uma mulher com curvas,

quero umas sacanagens
de delicia sacana
hum!

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Quando as nuvens vejo

Quando aquelas nuvens vejo
formas alvas
eu as enxergo,

nuvens tão alvas
e de candura
tão intensa.

Quando mal me sinto

Quando mal me sinto
agonizo aos poucos
em doses caudalosas,

e ao mar me vou
para minh'alma
acalmar
e meu coração
consolar!

Quando avesso me sinto
embrulho-me o interior
em contorções
escandalosas,

e ao encontro do vazio
eu vou para
o abraço do vento
eu sentir
em gotas cálidas!

Quando bronco estou
é que eu ao abismo
me jogo
e para o escuro
eu me viro,

e lentamente absorvo eu
todo a escuridão que há
fortalecendo-me
em sombras
de absorção pura!

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

sábado, 12 de agosto de 2017

O que me alivia

O que me alivia
e me nutre
me acalenta,
então obrigado Deus,

Aqui estou caminhando

Aqui estou caminhando,
continuo na entrada
bem de pé,

caminho bom até aqui,
caminho que me veio
e ao que me encontrei.

Coisas boas cá as tenho

Coisas boas
cá as tenho
e agradeço

bom que vieram
mas foi suado
pensar essas reflexões,
foi turbulento,

Tenho meu pai

Tenho meu pai
aqui comigo
do meu lado,

o pai com quem
eu tanto briguei
mas que tanto amo,

Como é bom

Como é bom
estar aqui
como é bom,

pois o inferno
não é um local
e sim um estado de espírito.

Sei que sou simples



Sei que reclamo
mas também sei que agradeço,

sei que sou chato
mas também sei que agrado,

sei que sou complicado
e difícil de entender
mas também sei
que sou simples de alma

sei



Faço essa poesia para me alegrar

Faço essa poesia
para me alegrar
e agradecer
me comover,

Sou um poeta que canta a dor

Sou um poeta
que canta a dor
deste amargo sentimento
que me amarra a boca,

dor amarga
que me vem
em pessimismo,
dor que eu canto
a meio manto,
dor.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Coisas boas a caminho

Coisas boas estão vindo,
por isso agradeço mesmo
de coração

Mulher que quer fazer fama de prostituta

Mulher que quer fazer
fama de prostituta
a mim
não me serve de nada,

Eu me vejo tendo prazer

Eu me vejo com ela
os dois a sós
numa cama espaçosa
estamos a vontade

ela é uma mulher apetitosa
e isso me deixa excitado,
aproveito ao máximo
essa noite,

O pimpolho

O pimpolho
menino
tão serelepe
e fagueiro,

menino
manso
e educado,
menino alegre,

O beiço

O chocalho da menina
é falante
e alegre

redondinho
e tão
serelepe,

Estou aguentando

Estou aguentando bem,
estou indo longe
pois pra aguentar
a lentidão da caminhada
é barra.

Difícil
mas é bom lembrar
da canção antiga,
pois é como agradecer
as velhas histórias,
ao bom tempo
de outrora.

Só agradeço
e vou
seguindo.


Aquela velha canção

Aquela velha canção
que me alegra
nas noites tristes,

nas monções cortantes,
no tempo lancinante.
Aquela canção
que eu lembro,
que eu canto,
que me encanta.

Ainda bem que ainda estou

Ainda bem que ainda estou,
ainda bem,
ainda estou,

graças a alegria,
graças que estou
e aqui estou,
ainda bem

bem vivo,
bem acordado,
ainda estou,
ainda bem,
aqui estou,
e como estou,
ainda bem.

Ainda estou,
que estou,
como estou,
como sou,
ainda estou,
como sou.

Que bem estou,
como sou,
aonde vou,
que tanto sou,
aqui estou!

Como vou
aonde vou
eu estou
como vou,
ainda bem
que aqui estou!

Eu tenho que escrever isso

Sou muito pessimista,
realmente
sou pessimista,

sempre espero
o pior das pessoas,
e o que de pior existe.

Sempre surro
as minhas alegrias
e assim
minha cabeça dói profunda.

Sempre pelo contra,
sempre fechado
e dizimado

e assim ofendo,
mas aos poucos
vou aprendendo,
tenho de aprender.

Vá!


e não me incomode,
vá!


não venha,
vá!

Ah coisas boas!

Venham as canções
os dobrões
e as dobradiças

venham as badaladas
venham os  elogios
venha o gosto
de saber-se
estar experimentando
o gosto da alegria,

venha o gosto
de saber-se
estar experimentando
o gosto da mansidão.

Ah eu quero as canções de natal,
quero ver
quero descobrir o ouro das mil manhãs,
quero pois já se vem.

Coisas de paz
no reino dos hobbits
que vivem felizes em sua inocência e paz
pois não sabem das sombras
que existem lá fora,

e é por isso
que eu quero
experimentar,
ver,
e agarrar.

Agradecendo para não enlouquecer

O pessimismo já é tanto,
e a dor já é tortura
e a alegria já se sufoca

que eu agradeço
para não enlouquecer
e não morrer,

Quero cantar pois preciso!

Quero cantar pois preciso,
me automotivo
cantando a canção

para ver
se sobe esse otimismo
pois as coisas boas
estão acontecendo

mas o pessimismo
me sobe
até acima dos fios de cabelo
e não deixa eu aproveitar essa alegria

mas a poesia
me salva
pois coisas positivas escrevo
então a visão já desembassa
e eu canto helloween

então a alegria me vem
e a gratidão
eu consigo devolver
ao universo.

flores da demência

As flores da demência
estão por todos
os lados

nos sorrindo
e alimentando
as caveiras,

elas
estão
aí!

Flores da demência
tão leves
cheirando
a chão de  cemitério,
a gosto de lápide

neste outubro
tão cinza
e tão triste
tão silencioso
e sombrio.

As vezes estamos tão solapados

As vezes estamos tão
solapados que nem
percebemos
as próprias conquistas,

sábado, 15 de julho de 2017

Tudo dando certo

Tudo dando certo,
acontecendo,
e quanto tempo esperei!

agora feliz estou,
pois no caminho certo estou,
sempre estive,
mas não conseguia ver,

Então emprego.

Então emprego,
até que enfim
nos encontramos,
eu e você,

Penso em minhas qualidades

Penso em minhas qualidades
e fico feliz
pois são boas
e as aceito,

Quero a canção alegre

Quero a canção alegre,
quero o beijo suave,
o odor agradável,
o suspiro apaixonado.

Mas isso pode esperar

Mas isso pode esperar,
agora é hora de
aproveitar,

uma música suave,
uma mulher agradável
e um enlace dos chamegos
a dois acontecer.

Intuição

A intuição em mim
é muito forte,
e me perguntam como eu sei,
mas eu apenas sei,

E afinal é isso!

doses do que vem,
e do que vai,
e se abre,

nesse mar imenso
que é o mundo
e que nos leva junto
como a correnteza leva a água,

sábado, 8 de julho de 2017

A nossa natureza

Como é duro
mudar
a nossa natureza!

Simplesmente
não se consegue,
só se sofre.

Alma cantante

Alma cantante
que me alivia
e me embala
que,  nesse berço, estou,
então me embala
me embala que nesse berço estou,

alma cantante
sorri para mim
e fique comigo mulher!
fique comigo
porque de solidão já farto estou,
então fique comigo mulher!

fique nessa noite
e nas outras
e sorria, me nutra mulher!

Alma que canta
que embala
que dança
que malha,

alma que embala
e que dança
que canta
e que lança,
alma que faz,

sorri pra mim
alma que canta
e que dança,
que embala e que se joga,
alma que balança,

Fala pra mim,
alma fagueira,
sorri,
canta comigo,
ama comigo,
fica!








Quando falo da saudade

Quando falo
da saudade
parece que alivia-me o peito,

quando falo
das canções e das monções,
do jeito faceiro das moças,
dos rincões e das paragens,
me alivio assim de pronto,

Agradeço pois mais um dia estou.

Agradeço
por mais
um dia,

pois aqui
mais uma vez
estou,

Minha simplicidade encanta

Simplicidade
que encanta,
comove
e transforam,

eu sei que
essa minha
simplicidade
tem poder,

Agradeço mais um dia aqui!

Mais um dia que vivo,
ainda vivo
aguentando a dor,
o estresse,
ainda vivo!

Mas eu sei,
bem lá no fundo
eu sei que vou
conseguir trabalho
e a minha própria renda,

Aquele canto que eu canto

Aquele canto
que eu canto
me alegra
nas debandadas,

das noites
enluaradas
do comover
do entreter,

aquele prosa
que eu puxo
a me entreter
a me envolver
e a me enternecer,

aquele vinho
que eu bebo
que me entorpece,
que me leva,
que me da asas,

são coisas a mais,
coisas normais
para mim
que faço e desfaço
e que  me ajudam
a seguir em frente.

As belezas

As belezas
das redondezas
das profundezas
das discrepâncias,

A opressão
da profusão
da  dissolução,

Me volto para o caderno

Me volto para
o caderno,
sorridente,
enquanto eu aqui
macanbúzio,
doendo léguas,

oprimido
a não poder mais,
detido
a correr mundo.

Meu coração já é sertão

Coração curtido
ao sol
de meio-dia,

solo rachado
igual
ao do sertão,

Um canto suave e um afago doce

Eu quero
um canto suave
e um afago doce

para desaguar
a minha tristeza
e desatar os nós do meu coração.

Eu quero
uma brisa fria
e um chamego direto

para revirar a tristeza
e fazer subir
suspirar a alegria,

eu quero,
quero,
quero.

Cantado,
chorando
e pensando,

 sentindo a brisa,
acalentando a tristeza
e revirando no fundo.

Vai,
vai,
vai,


vai coração,
vai buscar a brisa
e o afago suave,

que ainda não teve
pois ainda é tempo,
ainda é hora.

terça-feira, 4 de julho de 2017

Sou redator

Para quem ainda não sabe eu também sou redator e caso estejam precisando de algum tipo de texto visitem meu outro blog. Deixo o link abaixo:

https://www.redatormarciojung.blogspot.com.br

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Estarei ausente

Olá!
   Estarei ausente por algum tempo para terminar meu novo livro que concorrerá ao Prêmio Paraná e também porque estou procurando trabalho como redator. Assim que der eu volto mas quem sabe eu poste alguma coisa esporadicamente.

sexta-feira, 9 de junho de 2017

é a poesia

É a poesia
que me
anima,

meu refugio
lugar
onde
desabafo,

me anima,
me alegra,
me da substrato,

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Já me esquenta

Já me esquenta,
me da dor de cabeça,
me comove,

me da mau estar
me cafunga
me encharca a alma
da malvada da vontade

larari larararirã

larari,
larara,
rirã,

larari,
larara,
rirã,

larari,
larara,
rirã,

...
...
...

A

A avaliar,
a deslizar,
a ondular,

a modificar,
a dessalinizar,
a encontrar,

a mofar,
a desestabilizar,
a destroncar
a...

a.a.a.a.a.a.
A...
ha ha ha ha ha
aiaiai uiuiui

O que me entristece

O que me entristece
é uma dor imensa
do tamanho do mundo
e que me faz latejar
a cabeça
e o coração,

a cabeça,
imensa,
inchada,
larga,

O que já me estressa

O que já me estressa
é aquilo que
já me aconteceu
e acontece,

então me vejo
atordoado,
encurralado,
derretido,
enfeitiçado,

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Não grite

Não grite,
não brigue,
não

pois vai prejudicar,
vai fundo,
vai longe,
por isso não grite,

Querer e não poder

Querer e não poder,
assim me vejo,
querer viver bem,
querer mais,

não poder
trabalhar,
não poder,

Status

Isso não me preocupa,
prefiro mais
a independência

e a liberdade
de só fazer
o que é certo,

terça-feira, 6 de junho de 2017

Sorte que me livrei

Sorte que me livrei,
e agora
já mais tranquilo estou,

mas
por um momento ainda
a me lembrar do que passou,

e assim
meio doente estou
mas pelo menos já se passou


Viajo por um campo vasto

Viajo por um campo vasto
verde e amplo
onde me agrada
a vista,

vou passeando,
vou aliviando,
vou andando,

Tanta angústia que me causa

Tanta angústia que me causa
essa situação
imutável,

tanta angústia
a mim
me causa.

Querer
mas não poder
e assim prosseguir
é o me causa.

Falar o quê?

Falar o quê
em um País
onde as pessoas
só pensam
em levar vantagem?

E o resultado
está aí
no sistema político,
que vemos funcionar todos os dias.

Falar o quê,
de um lugar
onde um
passa a perna
no outro?


Pra me aliviar

Pra me aliviar
eu escrevo
pois vejo
tanta coisa
acontecendo,

coisas erradas,
exploração,
jogo de leis,

tudo acontecendo
debaixo
de nossos pés

sendo feitas
por nós mesmos,
nós nos roubando,
é isso
o que está acontecendo,

e pra passar
esse sentimento
ruim
eu escrevo.

terça-feira, 30 de maio de 2017

O pacto

     A raiva ensopava-me a alma pois a sorte não andava comigo e além disso havia brigado na rua e para piorar, nesta noite, o choro de um gato somado as sombras estranhas fêz-me gelar de medo e com a raiva misturada ao medo fui dormir contudo a idéia de um pacto não saía da minha mente, desta forma fui tomado por um pesadelo pavoroso. Era noite de ventania e algo perseguia-me bufando e rosnando, eu até podia sentir sua respiração e tudo isso somado as sombras criou um clima horrendo. Corri até o cemitério da velha igreja e dei de cara com um homem que tinha o rosto em carne viva e gargalhava com um machado nas mãos então parei de um pulo e senti calafrios, mudei de direção e já na estrada tropecei e caí, olhei para o chão e notei algo brilhando, era o anel de minha mãe em sua mão decepada, chorei, levantei e corri até a encruzilhada e tomado pelo cansaço parei ofegante, olhei em todas as direções e senti um alívio, o vento ressoou, então senti um toque que foi descendo pelo meu pescoço até o ombro, gelei e fiquei paralisado, chorei baixinho, implorei, agora o ser estava na minha frente, era horrendo e falou com voz grave e grotesca:
     - Não era o que queria, um pacto?
     Ergui a cabeça de sopetão e ofeguei muito, que pesadelo medonho. Então olhei para a frente e ali estava ele, chorei baixinho e implorei por minha alma.    

terça-feira, 23 de maio de 2017

Uivo do vento

O vento
zumbe,
e faz
aquele barulhão,

Me anima

Me
anima
o
pio
da
coruja,

Pelo que existe


Discute-se muito
sobre locais
inascessíveis,

aos quais
não poderemos
ir tão facilmente,

e cujos quais
não podemos
ver com a visão,

então
por isso mesmo
geram discussão,

mas não discutamos
sobre esses locais
pois não dá tempo,
precisamos de mais,

percebamos
que pra lá
talvez
só a alma vá.

O que vem e o que vai

O que vem e o que vai,
de repente não é bem
o que se quer,
mas o que se tem,

o que se passa
é o que nos atormenta
e o que se vai
é aquilo que já não presta.

Andorinha que vai

Andorinha
que vai por aí
tão sozinha
planando no ar,

domingo, 21 de maio de 2017

Terremoto Brasiliano!

Terremoto,
terremoto,
vai corroendo
tudo o que,

vai de
Brasília ao Paraná
e de Minas a Goias!

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Posicionamento do blog no Google

É com alegria que informo que o Página do Marcio já aparece na primeira página nos resultados do Google.

sábado, 6 de maio de 2017

Tão doce amor

Tão doce amor
que guardo
como uma relíquia
dentro em mim,

tão precioso
de consistência
sólida e exuberante,

te guardo,
te preservo
e te admiro.

Calabouço fantasmagórico

Calabouço
de velho
castelo

que tem
grades
rente ao solo,

Verdejante colina

Verdejante colina
por detrás dos montes
cuja qual procuro,

és bela,
tranquila
e verdejante,
um local para admirar,

Cuida

Vêm,
cuida
e deixa florescer,

não descuide
por um momento
sequer

Erro na Matrix

Acho realmente
que somos
o erro na Matrix,

aquilo que
fugiu
do controle,

pois vamos
rumo ao
precipício

sem nem mesmo
nos importarmos
com isso.

Somos incongruência,
imperfeitos
e sedentos
de uma sede infinita,

por isso
vamos
rumo ao final.

Um sonho

Um sonho
eu tive,
um sonho
experimentei,

mas dele
me lembrar
não consigo,

Antes de nós

Antes de nós
o mundo
era perfeito,

fluía,
seguia seu curso
natural rumo ao infinito,

então evoluímos
e começamos
a explorar seus recursos naturais
sem parar
e o mundo começou a chorar.

Esse choro
um dia terá fim
e nesse dia
já não teremos mais a nossa casa.

Imperfeição

Mundos
são o que
são,

imperfeitos
em sua natureza
porque mundos perfeitos
habitados por humanos
não se sustentam.

Podemos melhorá-los
mas não consertá-los.

Abraços

Abraços são bons
e ajudam
a suportar
os desalinhos desta vida,

confortam as pessoas
nesse mundo
já tão desconfortável,

O mundo atual

O mundo atual
está complicado
de se viver

pois os ânimos
estão exacerbados
ao máximo

Tarde de sábado

Uma tarde de sábado
é o dia perfeito
para pedalar

e andar
pelas paisagens
pastoris,

terça-feira, 2 de maio de 2017

Divulguem meu blog!

Olá amigos, peço à todos que divulguem meu blog de poesias para que mais brasileiros tenham a oportunidade de conhecer! Obrigado!

https://www.paginadomarcio.blogspot.com.br

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Meu querido Catchorônnn

Meu querido Catchorônn
lindo Dingo amigão
companheiro pra valer

me ajudou pra caramba
nessa barra dura e pesada
que é viver,

foi mais um item valioso
no processo de auto-aprendizado
que eu vivi
e se der vou sair vivo dessa Cathorônn

A dor que sinto

A dor que sinto
é tão profunda
que chega
a dar dor de cabeça

Criticas sempre haverão

Doem
mas existem
mais ainda o tempo todo
essas criticas perversas
que me fazem sofrer

sorte que tenho
forças
para demover
objetivos
incompletos
e retumbantes

por isso aguardo
a vitória
até não poder mais ver

Eu errei e erraram comigo

Erraram comigo
e eu errei com eles
então todos sofreram

mas vou levando
até onde der
essa vida
que me deram
pra sempre,

vou levando
assim
pra sempre

Tem que tocar o foda-se

Toque o foda-se
mande a merda
mesmo que doa

pois se ficar
em silêncio
vai ser pior

então
toque
o
foda-se

Minha vida é igual uma fita


Minha vida
é igual uma fita
de videocassete
as vezes enrola

então você
tem que ir lá
e desenrolar
ela

colocam coisas em nossa cabeça

Colocam tanta coisa
na cabeça da gente
que a gente fica doida

Avançamos sonolentos
e incapazes de ver além
do mar sem fim
desse oceano absoluto

compreendemos
que não há o que compreender
e sim o que fazer.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

otempontelo

otempontelo
veraneio de mais veres
abrace a causa
das angústias e tristezas
para transformar em alegria
otempontelo

O que mais eu poderia escrever

O que mais eu poderia
escrever além da
convalescência das
brumas esdruxulas
criptando ao luluar
do vem me ver escaravelho?

Eu quiz ficar

Até judiar de adiar o desfecho
da porta aberta em meu peita já desavisado
quero ajudar e acompanhar

O que é ser bem sucedido

é descobrir as respostas
para nossas dores
tão lanscinantes e angustiantes
que gritamos
ao redor de o mundo inteiro

Alivio

Alivio que
a tanto
tempo
não via

e que veio rever-me
nesse única vez
mas já tão sobejamente aletrada
enfileirada nas diagonais
de meu coração já tão cansado
quero de novo esse alívio.

Atuar

Atuar
aliviou-me
pela primeira vez
a alma,

Agora perdoô

Agora perdoô
a todos
pois já é difícil
já é complicado
é demais,

a dor é imensa
em meu peito semiaberto
rabugento-taciturno amargurado
mas que tem bondade tão cansada
pela dor já tão forçada.

Vou tentar até o fim

Vou tentar até o fim
para poder
percorrer a estrada
dos sonhos devanecidos,

vou andando até demais
vou até não poder mais
vou andando até onde der

vou andando ando mais
até não mais poder
é o que sei,

vou...

me zoaram

A zoeira foi demais
que eu não aguentei
mas agradeço a Deus
pois me enturmei

A dor em minha alma

A dor em minha alma
é tremenda
varre o cosmos do meu peito

dor que jamais
pensei existir
nesse meu coração

mas agradeço a Deus,
tentaram me ajudar
mas não puderam
pois eu tinha problemas

sei que serei criticado
sei bem pois dor dessa desperta inveja
e ninguém gostaria de estar no meu lugar.

Que sirva de exemplo

Que sirva de exemplo
o meu exemplo

tanto fiz
mas a lição: Não desisto
pois está no meu dna

quero ser bem sucedido
e vou ser sei que vou

já venci

Já venci
até aqui
pois vivo estou

cambaleando
mas também
enchapelando

Foi um dia

Foi um dia
em que eu
aprendi
mais do que sabia
e menos do que deveria

Eu só queria

Eu só queria
deitar e chorar
a mágoa da saudade
do tempo passado

mas eu não posso
porque represei
tudo dentro em mim
agora chora

eu tenho mágoa
porque as pessoas
não sabem
como é dura a mágoa represada

é dura....

Eu dou valor pro meu pai

valorizo meu pai
pois esteve comigo
até o fim

sei que fiquei magoado
mas também sei
que meu pai
não me abandonará

Vocês vão descobrir

Zoeira em excesso
faz mal
e se vocês pesquisarem
vão descobri
que eu me ferrei
e queria melhorar
por isso digo: moderação

É da minha natureza querer viver bem

É da minha natureza
querer viver bem,
desejar e ser responsável

é da minha natureza
de rouxinol
engaiolado

mas vai
não se demora

Sofrendo

É sofrendo que se aprende,
é aprendendo que se evolui
e é assim que as coisas andam.

O sofrimento

O sofrimento ta demais
chega a sangrar
a epiderme da alma

O valor da família

O valor da família
é imenso
eu sei,

Agradeço

Agradeço a oportunidade
que tive de ver
e enxergar como as coisas são,

O acaso

O acaso 
é o que
comanda,

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Se me obrigar

Se me obrigar
eu ensino
o caminho,

É dureza

É duro,
é dureza
essa vida,

vai passando
enquanto
a gente caminha,

e as coisas vão acontecendo
nesse meio tempo
inexoravelmente

Minha angústia não tem tamanho

Minha angústia
não tem tamanho
tem peso,

angústia de
ser desprezado
de ser jogado as margens,

Crianças

Crianças
são doces
mas depois
de adultas
vão perdendo a essência,

A vida é dura

A vida é dureza
pois não se tem
e o que se quer
é tirado.

Dores da topografia

Dores da topografia
desse meu coração
tão contrafeito

que vai descendo
a ladeira
do tormento.

A pedra que me cala

A pedra que
me cala fundo
é a mais
silenciosa e pesada pedra
do mundo,

A mágoa é uma pedra

A mágoa é
uma pedra funda
e pesada

que corrói
até os
dentes.

A mágoa é
uma pedra
funda

Entra numa guerra

O único
que entra
em uma guerra
de graça
é o soldado,

Estou ficando indiferente

Estou ficando indiferente
aos poucos
e sem que ninguém perceba,

um processo
que não
tem volta.

terça-feira, 18 de abril de 2017

Opressão que se abate sobre mim

Opressão que se abate
sobre mim
e meu coração,

que vem e fica,
se abate e
comprime
meu coração,
opressão.

faço
versos
na esperança
de que meu coração
fique mais leve
e se livre dessa opressão,
coração.

Aves lindas

Aves lindas
que vêm me ver
aqui no Rio grande do sul
no Taim,

aves que vêm
me ver
aqui no Taim
que eu também venho ver.

Aves que lindas são
e por tão belas
a fotografar
agora eu estou,
aves lindas.

Que vêm de
muitos rincões
do mundo
aves belas que sóis.

Aves que admiro
e gosto muito
são vocês
aves lindas de admirar
de ver e de fotografar.

Vento que serpenteia

Vento que serpenteia
pela montanha
acima,
depois desse veloz
montanha abaixo,
vento que serpenteia.

Vento que nos deixa
tontos e zonzos
tamanho seu barulho
e velocidade
vento que serpenteia.

O que escondem estas montanhas?

Que vasto
e esplendoro mistério
escondem estas montanhas?

Imponentes
e majestosas
elas se elevam
acima da paisagem
e constituem-se um mistério.

Demora a melhorar

Demora a melhorar,
mas melhora
eu sei que melhora,

Tenho dó

Tenho dó
de quem
tem dó de mim,

Estou te vendo

Estou te vendo,
pelo menos as nuances
estou vendo.

A estrada é fria

A estrada é fria,
sutil
e enigmática

mostrando-me
nuances
que agora não sei
entender
e por isso me choco.

Vai..

Vai zombando,
vai rindo,
vai mentindo,
vai...

Altaneira

Altaneira
bonequinha
de pano,

sorridente
criancinha
imóvel

Qão dura é essa dureza

Quão dura
é essa dureza
malévola!

Os coitadinhos choram

O que um
coitadinho
sabe fazer
além de chorar?

Homogeneamente sorrateiro

Homogeneamente sorrateiro,
derradeiramente escorregadio,
assim é.

De entremeios do sorriso

De entremeios do sorriso,
variando pelos cantos,
saindo pela diagonal,

pois é de detalhes
que se faz
um esboço completo
e depois a obra.

Vou te possuir

Se me permite
vou te possuir
não se preocupe.

Se não se incomoda
vou te entanhar
não se apoquente.

Tem que sentir

Tem que sentir,
experimentar,
perceber,
alargar o horizonte.

É porque passa,
por onde passa
e caminha
trilhando mansamente
o carreiro.

Do que há no coração

Do que há no coração
se sente
em alfinetadas
e secura

sábado, 25 de março de 2017

terça-feira, 14 de março de 2017

Minha maior alegria

Minha maior alegria
é ter aprendido
a escrever bem
sem ter feito faculdade de letras,

é realmente um gostinho especial
esse de aprender
sozinho,

Sou complicado

Eu acho mesmo
que sou complicado,
endiabrado.

Acho mesmo
que é
assim
desse jeito.

lei do retorno

O que me conforta
é a certeza
de que
o que veio pra mim
vai retornar
a sua origem,

Não duvide de mim

Não duvide de mim
porque eu tenho
determinação
e responsabilidade,
e não disisto de melhorar

O assédio

Sou contra,
sou mais
a favor
do desassédio,

deixar as pessoas
livres a vontade,
mais legal,
bem melhor
e bom também.

A tirulipa

A tirulipa
muito alegre
e faceira,

contente
e alviçareira
pela trepadeira
sua companheira
bandoleira.

A doença

A doença
é uma coisa grave,
perversa,

que vai corroendo,
degradando
as pessoas,

Estrada profunda

A minha estrada
parece longa
profunda

e quanto mais eu ando
mais longa ela se torna.

Eu caminho por ela
e ela me leva
para as montanhas
lá no fundo,
que não chegam nunca,

essas montanhas
azuis e brancas.

Coisas que a vida nos da

São coisas
que a vida
nos dá

tão altos
e tão baixos
que confusos ficamos.

segunda-feira, 13 de março de 2017

Paguei o preço

Paguei o preço
e senti o gosto
de ter consciência,

é um gosto amargo,
é o da responsabilidade,
e o da crítica
e não tem volta.

A alegria da mariposa

A alegria da mariposa
da trancosa
da gerosa
da melosa,

A abundância

A abundância
da bundância
da rebolância
da bundinha.

Flatulências

Flatulências
que abundam
nesta bunda
tão profunda,

Cometeres o foderes

Cometeres o foderes
e engravidares
a moçoila
do açougue
do portuga,

A doidera

A doidera
da bobeira
da  tonteira
da geleira,

que vai despencadeira,
baladeira
na tonteira
da topeira
da geleira,

A cantoria

A cantoria
da alegria
da folia

tocada a empolgação
e palmas
pela noite a dentro.

A correria

o dia-a-dia
é pesado,
enferrujado,

em nós empurra
pra frente
enferrujadamente,

poesia cantoril

Essa poesiazinha
que eu fiz
pra cantar
e me alegrar

poesiazinha linda
pra alegrar
e animar,

Escrever leve e escrever pesado

Escrever leve me deixa leve,
mas escrever pesado,
ah! isso me deixa pesado,

escrever leve me dá prazer,
mas escrever pesado
me faz pressão
e quanto mais pesado mais pressão,

Quando mais produzo

Quando mais produzo
é quando estou mal
de tanto enraivecer
de esquentar a cabeça,

pois isso é uma coisa
que posso fazer
estando bem ou mal,
acho que é minha vocação,
a vocação de máquina de escrever
e de computador,
por isso vou escrevendo,

Escrever sobre o que?

Escrever sobre o que,
sobre a vida,
sobre uma flor,
sobre o rio?

Agora que me
faltam palavras
e sobra dor
de cabeça
e insônia.

quinta-feira, 9 de março de 2017

Maravilhoso cãozinho!

Maravilhoso cãozinho
tão delicado Dingozinho
pelo qual me apaixonei
e adotei,
tão lindo Dingozinho,
meu cãozinho,
tão sensível e medrosinho,

Menino tão puro

Menino tão puro
e tão inocente
com esse seu olharzinho
tão carinhoso
eu sou capaz de me apaixonar
e de você não mais desgrudar.

Você só pensa, menino pequeno!

Você só pensa,
só pensa,
menino pequeno,

em ser grande homem,
em seus sonhos,
em voar,
conquistar o  mundo

Aquela velha tristeza

Aquela velha tristeza
que me vem
da lembrança
daquele meu amor
que se foi
para a cidade grande

Coisas que me vêm

Coisas que me vêm
lá da cabeça,
do riacho,  da mansidão
e da criação,

coisas boas que
me vêm lá da cabeça
e me deixam orgulhoso
de ser bicho do mato,

Penso no rancho

Penso no rancho,
na vida simples
do sitio,

vida que é mansa
como a quele regato
que vai tão leve
como a pluma,
regato manso.

Agrupados aqueles cavalos

Agrupados aqueles cavalos
me fazem lembrar
do tempo em que no sítio eu vivia,
com o meu paizinho a trabalhar,

Pense menininho

pense menininho
lá naquele passarinho
tão sozinho e tão tristinho,
que canta tão baixinho,

Um sentir

Um sentir
que causa espanto
porque cresce
e abarca em sua fome
todos nós,

De um tempo tão contente

De um tempo tão contente,
em que eu corria alegremente
a olhar para aquele ribeirão
rindo largamente,

De um tempo tão contente,
em que eu menino
lá no meio de toda gente,
a gritar alegremente
a alegria de moleque,

De um tempo tão contente,
que já se foi tão tristemente,
pois os anos
e a vida
tão duramente,
trataram de arrancar
o sorriso tão contente
do menino inocente.

Eu choro a mágoa

Eu choro a mágoa
da qual
eu não consigo
me livrar,
então eu choro,

Minhas crianças

Alegria minhas crianças,
não chorem que
essas mágoas logo passam,

brinquem contentes
e não se
apoquentem
criancinhas,

Folia

Folia,
festa
e fantasia,

algazarra,
berreiro
e sapatada,

Dispenso

Dispenso
o despreparo
com que
me tratas,

Fórmulas

As pessoas
estão sempre
em busca

do
caminho
mais fácil

quarta-feira, 1 de março de 2017

Resenha e download de Poesias Pesadas

        Poesias Pesadas é um livro carregado de emoção e sombras que descreve o caminho trilhado por um homem em meio a sua estadia nesse planeta e que de tão escuro só algumas frações de luz conseguem atravessá-lo e chegar à superfície. Como em todo caminho a paisagem vai se modificando e coisas vão aparecendo enquanto outras desaparecem enquanto o herói, esse homem, segue errando e assimilando os enigmas do caminho. Esse é um caminho transcrito em forma poética existencial, mas a jornada ainda não acabou, ela apenas começou!
        O livro pode ser baixado nos links listados a baixo:

lelivros.me/?x=0&y=0&s=poesias+pesadas
https://epubr.club/poesias-pesadas-marcio-jung

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Quero conhecer vocês!

Olá à vocês! Já faz algum tempo que o blog existe e acredito que ele tenha ultrapassado o período de experiência pois a escrita melhorou e as visitas aumentaram, mas ainda falta algo, faltam os comentários de vocês, pois para um blog os comentários são vida e é assim que se pode conhecer os seguidores de um blog e melhorar cada vez mais, por isso, para conhecer cada um de vocês e melhorar ainda mais é que peço que comentem as postagens. Eu quero conhecer cada um de vocês o que pensam, onde vivem e se estão gostando realmente do blog, por isso comentem!

As pernas


 AS PERNAS

Para andar,
pra correr,
para exercitar,

para subir,
para descer,
para curvar,

para chutar,
para flexionar,
para PEDALAR!










Bicicleta

BICICLETA

Para os olhos a visão.
Para a boca o falar.
Para a cabeça as idéias.

Para o coração os sentimentos.
Para os pulmões o ar.
Para o nariz o olfato.

Para as mãos o toque.
Para os pés o caminhar
e para as pernas o pedal.















quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Intuitivo

Intuitivo,
marcando as pegadas,
absorvendo,

vou caminhando
pela estrada
e olhando o horizonte
e o rastro das nuvens,
vendo também a neve da montanha,
assim eu vou.

sábado, 14 de janeiro de 2017

Élficos encantamentos

Élficos encantamentos,
que de magia
me transportam
a outras terras,

para na maior das baladas
cantarolar e decifrar
o desânimo das Ondinas
de Novgorod,
Ondinas dos tempos eslavos!

Assustador mundo sombrio

Assustador mundo sombrio
que através de sombras e vultos,
assombra meu ser
e faz gelar minha alma.

Que por artimanhas e detalhes,
me faz temer o que se esconde
nas sombras e o vento lá fora,
que ruge, ruge alto.

Assustador mundo sombrio,
que me faz temer aquilo
que existe no coração dos homens
e que tanto me choca,

mundo que me amedronta terrivelmente
por suas sutilezas, por suas sombras,
por sua força, por seus estratagemas,
e que me faz temer.

Medo que me paralisa
e me aprisiona neste castelo
nessa noite, esperando
que a tormenta passe e os lobos se acalmem.

Dia das bruxas

Com palavras
e gestos
eu crio meu mundo,

subverto
a natureza
e o cosmos,

Uma vampira dança em minha catedral

Uma vampira dança em minha catedral,
rodopia suave,
ela é ruiva,
morde suavemente meu pescoço.

Ela dança suave em minha catedral,
minha catedral,
meu castelo que mais parece uma floresta.