Poesias Pesadas

Licença Creative Commons
O trabalho Poesias Pesadas de Marcio Jung foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais ao âmbito desta licença em http://paginadomarcio.blogspot.com.br.

Postagem em destaque

Meus e-books à venda

Aqui estão os links para meus e-books à venda na Saraiva  por R$ 2,99 cada: www.saraiva.com.br/poesias-de-dor-e-de-alegria-de-reflexao-e-d...

domingo, 29 de março de 2015

Computador

Bits,
bytes,
informação,

fluxo,
energia,
virtualidade,

singularidade,
racionalidade,
imortalidade,

chips,
eletricidade,
trânsito,

velocidade,
máquinas,
infecções,

dados,
metadados,
transcendendo.


sexta-feira, 27 de março de 2015

segunda-feira, 23 de março de 2015

Fico em cima do asfalto

Eu venho de longe,
do alto,
e quero prosseguir

mas não posso,
pois colocaram
algo  no caminho,

Sorteado

Ganhador,
pessoa de sorte,
que adivinhou,

Diante de você
belezas indescritíveis,
lugares maravilhosos,

a glória,
uma manhã esplendorosa,
tudo azul.

Acredite nos detalhes,
confie no que lhe falo,
siga as pistas e o som,

belo prêmio,
oportunidade
e alegria,

Tudo ao seu dispor,
pode acreditar,
mas primeiro, dê-me uma nota de 100!

 



domingo, 22 de março de 2015

quinta-feira, 19 de março de 2015

domingo, 15 de março de 2015

quarta-feira, 11 de março de 2015

Romance policial

Escrever para aliviar-se,
escrever para ocupar-se,
escrever para não enlouquecer-se,
para que o mundo não destrua-me.

Na rua um gato mia,
meia-noite,
rua deserta.

domingo, 8 de março de 2015

Aquilo que valorizamos

Valor que damos
ao que damos valor,
valorizamos aquilo que importa?

Valores que necessitamos
e que não damos valor,
valor que realmente importa.

Mulher

Mulher maravilhosa,
deliciosa,
cuja qual não me dou ao luxo
de não ter.

Mulher gostosa,
cuja qual eu necessito
e que dâ-me prazer,

Mulher deliciosa,
que eu preciso,
eu te preciso
e não abdico desse prazer,
e de tua companhia.

sábado, 7 de março de 2015

A dureza de ter um bom coração

É duro ter um bom coração,
pois se machuca fácil,
é pisado pelas pessoas,

sofre decepções,
percalços,
leva rasteiras.

rumor inculto

Desagrada-me
o rumor do bardo inculto,
o brado sem destino,
furioso por natureza.

O grito da terra inculta,
grito que nada produz
apenas discórdia,
apesar de ter um rumor no peito,
amaciado pelo coração doce.

Coisas doces

Vou cuidar de coisas doces,
da calma do doce regato,
da mansidão das borboletas.

Ficarei leve,
vento  em fina sintonia,
alegoria enfeitada,
doce acometimento.

Gargarejo amigo

Gargarejo amigo,
barba rala,
cafezinho fumegante.

Dia de trabalho,
machado marchador,
vento com sabor de refrescância.

Solidão

Brisa marinha,
concha  no ouvido,
o êxtase das luzes.

Eco das cavernas profundas,
ar no pico das montanhas,
céu sem nuvens.

Sim

Trimmm!
Sim?
bip bip bip.

Trimmm!
Sim?
Olá, como vai você?
pib pib pib.

Taça da alegria

Um copo de ei,
um copo de cá,
um copo de lá.

Uma varanda lavei,
um poço sequei,
mui males curei.

Estremecimento

Cegueira,
embevecimento,
fúria e movimento.

Elevação,
choque,
descompasso e altarquia.

quarta-feira, 4 de março de 2015